Entendendo o Marketing Político

Antes de entendermos o que é marketing político, é importante conhecermos o conceito de marketing. Ao contrário do que muitos pensam, marketing não é o filme (VT) que você assiste na televisão, ou seja, ele não é propaganda, nem tão pouco publicidade. Marketing é a ciência que estuda o comportamento dos agentes componentes do mercado, através de pesquisas, diagnósticos e prognósticos. Isso visando o correto posicionamento de um produto ao seu consumidor potencial.

Já o marketing político se vale da essência da conceituação referida ao marketing, só que em outro contexto, o político-eleitoral. A definição brasileira consagrada e mais admitida é a do cientista político Rubens Figueiredo, que diz que “o marketing político é um conjunto de técnicas e procedimentos que tem como objetivos adequar um(a) candidato(a) ao seu eleitorado potencial, procurando fazê-lo, num primeiro momento, conhecido do maior número de eleitores possível e, em seguida, mostrando-o diferente de seus adversários, obviamente melhor do que eles”. Em outras palavras é buscar entender os anseios e necessidades correntes do eleitorado em determinado momento e adequar o discurso do(a) candidato(a) para não fugir das preocupações da sociedade.

O marketing político é divido em três tipos: o Eleitoral, que é realizado no período da campanha eleitoral com dia e hora para início e fim, sendo utilizado por quem não possui mandato ou deseja se reeleger; o Pós-eleitoral, que é o uso permanente das ferramentas de comunicação por quem já possui um mandato, visando manter sua imagem associada a uma boa administração, objetivando a ampliação de seu poder; e o Partidário, como o nome diz, trabalha a imagem dos partidos políticos.

O marketing político tem ganhado status de ciência, passando a ser estudo por entidades e profissionais de nosso país, e aos poucos vem ganhando espaço nas grades curriculares de graduação e cursos de especialização.

O seu prestígio e importância estão sendo visivelmente notados nas eleições dos últimos anos. E como disse o professor Manhanelli em relação ao político que não utiliza o marketing político em sua campanha, “o fator sorte sempre existe, mas, com certeza, ele terá uma eleição e não uma carreira política”.

Esse post foi publicado em Geral, Marketing político e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Entendendo o Marketing Político

  1. Pingback: O povo gosta de espetáculo | Atrás do palanque

  2. Pingback: Fatores de decisão do voto | Atrás do palanque

  3. Pingback: A imagem na política | Atrás do palanque

  4. Pingback: O composto de marketing no planejamento estratégico de campanha eleitoral | Atrás do palanque

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s